ONU pede ‘transformação completa’ do sistema energético

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

UOL

O fornecimento de eletricidade limpa deve dobrar até 2030 para evitar que as mudanças climáticas coloquem em risco a segurança energética global, disse a Organização das Nações Unidas nesta terça-feira (11).

O setor de energia não é apenas uma fonte significativa de emissões que impulsionam as mudanças climáticas, mas também é vulnerável às mudanças que acompanham o aquecimento global, diz um novo relatório da Organização Meteorológica Mundial (OMM) das Nações Unidas, publicado nesta terça-feira.

Se o mundo não migrar rapidamente para fontes de energia limpa para retardar a crise climática, as condições meteorológicas e um estresse hídrico mais extremo colocarão em risco a segurança energética e inclusive risco o fornecimento de energia renovável, alerta o documento.

“O tempo não está do nosso lado e nosso clima está mudando diante de nossos olhos”, insiste o chefe da OMM, Petteri Taalas, em comunicado. “Precisamos de uma transformação completa do sistema energético global.”

O chefe da OMM lembra que o setor de energia é a fonte de cerca de três quartos das emissões mundiais de gases de efeito estufa, insistindo que “a transição para modos limpos de produção de energia (…) e a melhoria da eficácia energética são vitais”.

Taalas adverte que atingir a meta de emissões líquidas zero até 2050 não será possível a menos que “dobremos o fornecimento de eletricidade de baixa emissão nos próximos oito anos”.

O zero líquido, ou neutralidade de carbono, será alcançado quando as emissões de dióxido de carbono das atividades humanas forem equilibradas em escala global pela absorção de CO2 em um determinado período.

Veja outros de nossos Posts!