Crescimento de renováveis supera avanço da demanda global por eletricidade em 2022

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Relatório da IEA indica que aumento na capacidade de geração limpa deverá causar redução da energia fóssil

Ricardo Casarin | Portal Solar

As renováveis estão crescendo mais rápido do que a demanda global por energia elétrica e substituindo combustíveis fósseis, mostra estudo da Agência Internacional de Energia (IEA, na sigla em inglês). Acréscimos de capacidades deverão ajudar a geração renovável crescer mais de 10% em 2022.

Apesar de um declínio de 3% na nuclear, a geração de baixo carbono deverá avançar 7% na média, resultando em uma queda de 1% na geração fóssil. Como resultado, as emissões de dióxido de carbono (CO2) do setor elétrico global devem cair em relação ao patamar histórico alcançado em 2021, embora em menos de 1%.

Conforme a pesquisa, o crescimento da demanda mundial por eletricidade mostra redução em 2022 em relação a forte recuperação registrada no ano passado. A desaceleração é resultado do enfraquecimento da economia e do aumento dos preços de energia, após o início da guerra na Ucrânia.

A IEA estima que a demanda global por eletricidade crescerá 2.4% nesse ano, após um avanço de 6% em 2021. Dessa forma, o desempenho segue em linha com a média obtida nos cinco anos anteriores à pandemia de Covid-19.

Gás natural cai e carvão avança

No primeiro semestre de 2022, os preços médios de gás natural estiveram quatro vezes mais altos na Europa em relação ao mesmo período do ano passado, enquanto o preço do carvão mais do que triplicou, resultando em preços de energia três vezes maiores em muitos mercados.

Em razão da alta dos custos e gargalos logísticos, o gás natural está sendo substituído por carvão em muitas regiões, especialmente em países europeus que buscam reduzir sua dependência em relação ao fornecimento russo.

Globalmente, é esperado que a geração a carvão cresça um pouco em 2022, com o avanço na Europa compensado pela redução na China, onde a geração renovável tem forte crescimento e o incremento da demanda por eletricidade é apenas modesto.

A geração a gás deve cair em 2.6%, com reduções na Europa e América do Sul superando o avanço na América do Norte e Oriente Médio.

Veja outros de nossos Posts!