Cogeração de energia no Brasil marca 20,4 GW em 2022

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Dados foram divulgados pela COGEN na última semana.

Biomassa Br

A cogeração de energia limpa vem ganhando espaço na matriz elétrica brasileira. Na última semana a Associação da Indústria de Cogeração de Energia (COGEN) divulgou que o setor alcançou a capacidade instalada de 20,4GW de energia.

Grande parte da produção, segundo a instituição, vem das usinas de biomassa, onde as 507 unidades em operação são responsáveis por 16,8 GW. A produção é preenchida também pelas usinas de gás natural e também pelo biogás, que apesar de tímido, vem apresentando bons números no último ano.

Usina de biomassa dobraram cogeração de energia desde 2010

O infográfico divulgado pela COGEN traz a evolução das usinas de biomassa nos últimos 13 anos. Em 2010, o setor produzia pouco mais de 8 GW e hoje já produz o dobro da energia limpa do início. A maior parte ainda vem do bagaço da cana, onde 73% da energia gerada pela biomassa vem do produto. Madeira e Licor Negro também estão entre os produtos usados para este tipo de geração.

Já no ranking estadual, São Paulo é o estado líder na produção de energia limpa através da cogeração a partir da biomassa. O estado paulista é responsável sozinho hoje por mais de 6GW da produção. Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Goiás e Paraná aparecem logo em seguida com pouco mais de 1 GW de produção cada um.

De acordo com a Cogen, a produção renovável das usinas de biomassa no Brasil foram responsáveis por poupar mais de 14% dos reservatórios do país.

Gás Natural e biogás também estão crescendo na cogeração de Energia no Brasil

A cogeração de energia através do gás natural e biogás também se mostrou positiva em 2022.

Segundo a COGEN o gás natural é ideal para o suprimento de eletricidade principalmente nos grandes centros metropolitanos do país e vem sendo utilizado para este fim. O combustível tem se mostrado vantajoso e o Rio de Janeiro é o maior produtor segundo o ranking estadual.

A participação do Biogás, por sua vez, ainda é tímida se comparada às outras fontes. Atualmente a cogeração ligada a ele é de 371 MW. Porém as expectativas são positivas principalmente pelas políticas públicas que estão sendo idealizadas no Brasil como o Renovabio. Vale ressaltar que o biogás é aquele oriundo de resíduos sólidos urbanos, agrícolas e também da usina sucroenergética.

No ranking estadual, a produção de biogás se mostrou bastante favorável em São Paulo, assim como a biomassa com 141 MW da produção. Paraná e Rio de Janeiro vem logo em seguida com 46 e 40 MW respectivamente.

Por fim, vale reforçar que as fontes juntas permitiram que a cogeração de energia no Brasil crescesse consideravelmente no último ano. O infográfico completo pode ser encontrado no site oficial da associação.

Veja outros de nossos Posts!