Vestas terá nova fábrica de R$ 100 milhões no Brasil

Ceará ganhou a corrida com os estados da Bahia e Pernambuco, que vinham pressionando no mesmo sentido a alta direção da companhia.

Egídio Serpa | Diário do Nordeste

O Governo do Ceará e a multinacional dinamarquesa Vestas Wind Systems – maior fabricante mundial de equipamentos de geração de energia eólica (gerada pela força dos ventos) – assinaram um acordo para a construção de uma fábrica de aerogeradores de 4.2 MW de potência na geografia do município de Aquiraz, onde a empresa europeia já tem, há dois anos, uma unidade industrial que produz pás e aegeradores de 2 MW.

Nesse novo empreendimento, a Vestas investirá R$ 100 milhões e criará cerca de 600 novos empregos.

O Governo cearense ganhou, assim, uma dura disputa com os estados da Bahia e de Pernambuco, que também lutavam pela fábrica da multinacional nórdica.

O secretário de Desenvolvimento Econômico do Ceará, economista César Ribeiro, que transmitiu a informação a este blog, informou que o anúncio oficial da assinatura do acordo será formalizado em cerimônia que se realizará na próxima semana no Palácio da Abolição, sede do governo estadual cearense. Estarão presentes o governador Camilo Santana e Rogerio S. Zampronha, presidente da Vestas para o Brasil e  América do Sul.

A nova fábrica da Vestas em Aquiraz, cujos detalhes técnicos ainda não foram revelados, será construída ao lado da antiga, inaugurada no dia 18 de janeiro de 2016 depois de consumir outros R$ 100 milhões de investimento.

Enquanto não ficar pronta sua nova fábrica (a construção demorará um ano), a Vestas importará de suas unidades na Europa seus novos aerogeradores, cujo modelo é o V150 com potência de 4.2 MW. A primeira encomenda firme desse equipamento foi feita pela Echoenergia, empresa brasileira controlada pela global Actis, especializada em private equity nos setores de energia e gestão de ativos imobiliários.

A Vestas fornecerá e instalará 24 turbinas eólicas V150-4.2 MW para um parque eólico da Echoenergia localizado na Serra do Mel, no vizinho Estado do Rio Grande do Norte.

Com pás de 73,7 metros de comprimento e a torre de aço mais alta do setor, a V150-4.2 MW estende-se por quase um quarto de quilômetro sendo uma das maiores de geração eólica on-shore (em terra), o que a torna muito adequada às condições de vento mais predominantes no País.

A entrega das turbinas está prevista para o primeiro trimestre de 2020 e o comissionamento para o final do segundo trimestre do mesmo ano.

A produção local do modelo V150-4.2MW em Aquiraz demonstra o compromisso de longo prazo da Vestas com o mercado brasileiro, disse ao blog o secretário-adjunto de Energia da Secretaria de Infraestrutura do Ceará, engenheiro Adão Linhares. Na sua opinião, e também na do secretário César Ribeiro, um dos fatores que pesaram a favor do Ceará foi a qualidade da mão de obra cearense. A Vestas – explicou Linhares – está muito satisfeita com a performance do quadro de pessoal de sua fábrica de Aquiraz.

Esta notícia reforça o plano de 10 anos de expansão de energia publicado pelo Governo brasileiro no ano passado. O plano prevê que o País poderá alcançar 28,5 GW de capacidade eólica até 2026, crescendo entre 1,1 e 2,0 MW por ano, aproximadamente

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *