Políticas públicas e financiamento para a inovação enfrentam desafios no Brasil

Em um período de desafios para a economia brasileira, a inovação tem sido um elemento-chave para o sucesso de muitas empresas e instituições tanto da esfera pública quanto privada. Nesse sentido, a inovação vem desenvolvendo um papel cada vez mais importante no setor elétrico brasileiro.

Durante a sessão de abertura do Encontro da Inovação no Setor Elétrico, evento nacional realizado na quinta-feira (9) em Natal-RN, o diretor-presidente do Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia (CERNE), Jean-Paul Prates, destacou que está em tramitação um Projeto de Lei que pretende fomentar a inovação no segmento renovável.

“A Lei do Senado nº 696/2015 visa determinar o uso obrigatório de recursos em pesquisa e desenvolvimento (P&D) pela indústria do petróleo e pela indústria elétrica em fontes alternativas de energia”, explicou Prates. A medida prevê que 1% da receita gerada pela indústria fóssil seja destinada a P&D em fontes renováveis.

A criação de uma política pública de apoio e fomento a inovação foi um dos pontos levantados pelo diretor da empresa de consultoria Eolus, Rafael Valverde. Segundo ele, ainda há déficit de uma infraestrutura tecnológica: “Existe uma carência em um ambiente qualificado para o desenvolvimento da inovação”, afirmou.

Financiamento e apoio

Em relação a financiamentos, as instituições bancárias estão analisando a criação de novos modelos de crédito para P&D. “É importante criarmos um espaço de apoio a iniciativas inovadoras que criem soluções capazes de contribuir com a economia regional”, disse o gerente regional do Banco do Nordeste, Thiago Dantas. Ele destacou que a instituição está estudando linhas de financiamentos para empresas start-ups.

As entidades que atuam no setor elétrico têm destinado parte de seus recursos em inovação. Desde 2008, foram aplicados mais de R$216 milhões em projetos finalizados e submetidos à avaliação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que regularmente abre editais de chamada para financiamento de projetos inovadores.

“Trata-se de recursos financiados pelo consumidor e, como todo investimento, deverá ter retorno para quem investe”, pontuou o especialista em regulação da Aneel, Fabio Stacke.

P&D

O gerente de inovação da Eletrobras Furnas, Nelson Araújo, apresentou os projetos de inovação sustentável desenvolvidos pela companhia. Um deles, realizado em parceria com a Coppe/UFRJ, é voltado para segmento de veículos elétricos. “Consiste em um ônibus híbrido e outro 100% elétrico. Ambos já estão em circulação e essa iniciativa nos mostra que é possível dar certo”, frisou Araújo.

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) realiza abertura de editais de fomento à projetos de inovação e tem obtido bons resultados: “Atualmente temos em nosso portfólio 220 projetos contratados e em execução na área de pesquisa e inovação com aporte total de 189 milhões”, informou Alberto Xavier Pavim, gerente em desenvolvimento industrial da instituição.

Fonte: CERNE Press

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *