Inovação como ferramenta para o empreendedor potiguar

O cenário do mercado atual se apresenta cada vez mais competitivo e para se destacar no ramo dos negócios é necessário ser um empreendedor inovador, que ofereça algo diferente a esse mercado e que esse algo novo seja um elemento de promoção da mudança e do desenvolvimento econômico. Esse foi o tema do Ciclo de Debates promovido pelo Conselho Técnico-Científico do Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia (CERNE) nesta quinta-feira (05), na Escola de Ciência e Tecnologia da UFRN.

A gestora do Núcleo de Apoio a Inovação da Federação das indústrias do Rio Grande do Norte (FIERN), Susie Alves, falou sobre inovação na indústria. Ela destacou que em 2018 a FIERN apoiou a estruturação de um grupo de empresários e empreendedores para discutir e propor políticas públicas que viabilizem a inovação no Rio Grande do Norte. “A ampliação da capacidade de inovação é imprescindível“, frisou a especialista.

Hoje, o micro empreendedor individual representa o maior segmento da categoria no Rio Grande do Norte, de acordo com estudo do SEBRAE-RN. O diretor técnico da instituição, João Hélio Cavalcanti, destacou que o segmento das micro e pequenas empresas é o que mais segura os postos de trabalho no estado, além de representar o maior número de contratações de novos empregados.

O diretor do Sebrae também destacou como principal desafio a necessidade da implantação uma Lei Geral da Micro e Pequena Empresa no estado. Segundo João Hélio, o assunto está sendo articulado com o Governo do Rio Grande do Norte.

Empreendedorismo na era digital e o surgimento das startups foram apresentados pelo gestor do projeto SebraeLabs e RN Digital, Carlos Von Sohsten. Ele afirmou que a inovação vem sendo utilizada como principal ferramenta para que empreendedores tradicionais possam entrar no mercado digital.

Von Sohsten apresentou o conceito do projeto SebraeLabs. “A ideia é ter no estado um ambiente colaborativo e multifuncional, que permita o desenvolvimento de ideias inovadoras e a remodelagem de negócios, gerando conexões que possibilitem vários níveis de colaboração e coparticipação entre os empreendedores”, explicou.

Finalizando a rodada de palestras, a professora da Escola de Ciências e Tecnologia da UFRN, Zulmara Carvalho, falou sobre a inovação no contexto das universidades e governos, abordando conceitos de caráter acadêmico e técnico desde o campo da ciência até a era dos novos negócios.

Em seguida, teve início a sessão de debates entre palestrantes e público presente. O momento foi mediado pelo atual Secretário
Estadual da Infraestrutura do Governo do Estado do RN, Gustavo Fernandes Coelho.

Ciclo

O Ciclo de Debates foi instituído em 2017 com o intuito de procurar discutir e debater os principais problemas do setor de recursos naturais e energia, buscando encontrar propostas de soluções que possam ser encaminhadas aos órgãos reguladores e executivos do setor, bem como identificar sinergia e potencias parcerias entre as diversas instituições que deverão estar representadas nos eventos do ciclo.

O Conselho Técnico-Científico do CERNE é composto por pesquisadores e professores de diversas Instituições de Pesquisas e Universidades do país e visa dinamizar ainda mais as ações do CERNE e dar um suporte técnico-científico nas discussões das estratégias, dos projetos e dos seus programas.

Fonte: CERNE Press

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *