Porto Potengi e o desenvolvimento do RN; leia opinião de Darlan Santos, diretor do Cerne

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Proposta do porto vem como uma resposta socioambiental ao local, dada a degradação da área, após anos de negligência em relação à preservação

Darlan Santos para Agora RN
Link para matéria: https://agorarn.com.br/ultimas/porto-potengi-e-o-desenvolvimento-do-rn-leia-opiniao-de-darlan-santos-diretor-do-cerne/

No ano de 2015, o Cerne, em conjunto com o escritório Catutti, escritório italiano especializado em portos urbanos, lançou uma proposta para reestruturação do Porto de Natal. O projeto foi idealizado segundo a realidade urbanística e mercadológica atual e futura do Rio Grande do Norte. A ideia é baseada na utilização de uma área degradada de mangue situada na margem oposta ao porto atual, e prevê a criação de um parque ecológico para preservação da vegetação ainda restante, e acessos exclusivos e interligados ao aeroporto de São Gonçalo do Amarante, além de uma terceira ponte ligando as zonas norte e sul da cidade, como contrapartida social à capital. Também foram pensados acessos às principais vias rodoviárias da cidade e a interligação ferroviária do interior do estado até o Porto.

Foi a primeira vez, ao longo de todos esses anos, que um estudo real de viabilidade foi contratado e executado para determinar a viabilidade técnica, econômica e ambiental de um projeto envolvendo um porto na outra margem do rio Potengi. Os resultados trouxeram luz e desmistificaram críticas à essa proposta que eram lançadas sem qualquer base técnica.

Entre as críticas, a altura da Ponte Newton Navarro, importante instrumento logístico da cidade. Conforme já foi exaustivamente apresentado em diversos eventos realizados pelo Cerne, a ponte tem altura de trabalho para navegação de 55m, suficiente para permitir a passagem de cargueiros de grande porte como os da linha Panamax. O calado do Rio Potengi, que tem em média 12 metros de profundidade, corrobora com a trafegabilidade desses navios. Mesmo assim, o projeto prevê o aumento dessa profundidade para 14 metros.

Importante destacar que a proposta vem como uma resposta socioambiental ao local, dada a degradação da área, após anos de negligência em relação à preservação. O projeto defendido pelo Cerne quer implantar o novo porto em uma área devastada, e garantir a preservação do manguezal restante, com a criação de um parque ecológico.

O possível aumento no volume de veículos circulantes na região também foi levado em conta pelo projeto, que apresenta uma terceira ponte ligando as zonas norte e sul da cidade, além da criação de uma via rodoviária exclusiva entre o porto, o aeroporto e os acessos à cidade de Natal.

Dessa forma, fica evidente o caráter desenvolvimentista e a preocupação socioambiental que o Projeto Porto Potengi traz em sua concepção. Trata-se de uma proposta completa, que tem a devida preocupação logística e mercadológica, comprometido com o desenvolvimento do Rio Grande do Norte.

Veja outros de nossos Posts!