Posts

Projeto de ônibus elétrico perde recursos e lança campanha virtual para continuidade

Um projeto inovador de ônibus elétrico movido à energia solar está passando por situação crítica. O eBus, como é conhecido, foi desenvolvido por pesquisadores da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Agora, o Laboratório de Fotovoltaica da UFSC está lançando uma campanha virtual para manter o projeto.

“Abrimos uma campanha de financiamento coletivo pela internet para captação de recursos e patrocínios com objetivo de dar continuidade ao programa”, explicou o professor e coordenador da iniciativa, Ricardo Ruther. O prazo estabelecido de financiamento do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações terminou em junho deste ano.

O eBus foi inaugurado em dezembro de 2016, por meio de licitação vencida pelo consórcio WEG-Marcopolo-Eletra-Mercedes, que teve um prazo de 12 meses para entregar o ônibus conforme as especificações. Em março de 2017, deu-se início ao serviço regular de transporte entre o Campus Trindade e o Sapiens Parque, em Florianópolis. O veículo foi o primeiro do país 100% elétrico movido a energia solar.

Financiamento

O projeto, iniciado em 29 de dezembro de 2014 com o nome “Desenvolvimento de ônibus elétricos para transporte público por energia solar fotovoltaica”, contou com a Fundação Stemmer para Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (Feesc) para receber e administrar os recursos do Ministério.

Criada pela Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc), a Feesc é credenciada pelos ministérios da Educação e da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações como fundação de apoio à UFSC, ao Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) e à Universidade para o Desenvolvimento de SC (Udesc).

O eBus recebeu recursos na ordem de R$ 1 milhão do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações para ser construído e avaliado durante esse período. Além de analisar a viabilidade de veículos elétricos na mobilidade urbana, o projeto estudou a produção de energia solar para esta finalidade.

“Provamos que o veículo elétrico funciona e que o espaço que ele ocupa parado, se estacionado sob uma área coberta com placas solares, é o suficiente para gerar a energia que ele precisa para se locomover”, afirma Rüther.

eBus

Toda a energia elétrica utilizada para recarregar o veículo é gerada pelo sol, em placas fotovoltaicas instaladas nos telhados do laboratório.  O ônibus faz cinco viagens por dia durante a semana, totalizando cerca de cinco mil quilômetros por mês.

O veículo dispõe de internet sem fio, monitores e duas ilhas com mesas de reunião onde os passageiros podem trabalhar durante os trinta minutos de trajeto. Diferentemente do transporte coletivo público da cidade, todos os passageiros devem viajar sentados e o acesso é facilitado devido ao piso baixo. Por ser elétrico, o veículo é silencioso e não emite gases de efeito estufa.

Campanha

A continuidade do projeto depende da contribuição das pessoas com uma campanha de financiamento coletivo, na plataforma Catarse, para viabilizar a operacionalização do eBus por mais um ano, inicialmente. Os custos cobrem a manutenção e os salários dos motoristas. Detalhes e informações sobre o projeto, bem como o sistema para doação estão disponíveis pelo endereço: catarse.me/onibuseletrico-ufsc-2019

Fonte: Daniel Turíbio | CERNE Press