Investimentos em energia renovável crescem 10% no Brasil

A América Latina atingiu níveis recordes de investimento em energia limpa em 2017, ano em que atraiu US$ 17,2 bilhões, um aumento de 65% em relação a 2016. O crescimento foi impulsionado principalmente por Brasil e México, que juntos captaram US$ 12,4 bilhões, ou 72% do total. Os dados constam do relatório Bloomberg New Energy Finance (BNEF), divulgado nesta terça-feira (16).

No Brasil, a alta de 10% nos investimentos em energia renovável pode ser atribuído, em parte, a retomada dos leilões do setor, principalmente no final do ano passado, depois de uma pausa de dois anos. Por meio desses certames foram contratados novos projetos das fontes eólica e solar.

Na Bahia, por exemplo, um dos empreendimentos contratados no leilão A-6 foi o parque eólico Morro do Chapéu II (78 MW), que será construído pela Enel Green Power Brasil na cidade homônima. A expectativa é de que a planta gere cerca de 380 GWh de energia renovável por ano. “É uma extensão do parque eólico Morro do Chapéu Sul (172 MW), com o qual o novo projeto irá compartilhar a mesma infraestrutura de conexão”, explica a empresa.

A extensão de 30 MW do já operacional parque eólico Delfina (180 MW), também da Enel, ficará no município de Campo Formoso. A nova planta será capaz de gerar por ano mais de 160 GWh de energia renovável.

Números globais 
De acordo com o relatório da Bloomberg, o investimento mundial em energia limpa totalizou US$ 333,5 bilhões no ano passado, uma alta de 3% em relação a 2016, o que representa o segundo maior aporte anual da história, levando o montante acumulado desde 2010 para US$ 2,5 trilhões.

“O total de 2017 é ainda mais notável se considerarmos que os custos de capital da tecnologia líder – a solar – continuam em queda acentuada. No ano passado, os custos por megawatt dos sistemas fotovoltaicos de grande escala foram 25% menores em relação aos de dois anos atrás”, destaca Jon Moore, diretor executivo da BNEF. No ano passado, os custos por megawatt dos sistemas fotovoltaicos de grande escala foram 25% menores em relação aos de dois anos atrás”.

Mundialmente, os investimentos em energia solar somaram US$ 160,8 bilhões em 2017, 18% a mais em relação ao ano anterior mesmo com as reduções de custo. Pouco mais da metade desse total, US$ 86,5 bilhões, foi empregado na China. Esse montante é 58% superior ao de 2016, com uma capacidade instalada adicionada de geração de energia fotovoltaica de 53GW em 2017, contra os 30GW em 2016.

Investimento por país 
No total, a China investiu US$ 132,6 bilhões em tecnologias de energia limpa, montante que representa um salto de 24% e um novo recorde. O segundo país que mais investiu foram os EUA, com US$ 56,9 bilhões, montante 1% superior ao de 2016, não obstante a menor simpatia demonstrada pela administração Trump em relação às fontes de energia renovável.

Financiamentos de grandes projetos eólicos e solares resultaram em um investimento de US$ 9 bilhões na Austrália, alta de 150%, e de US$ 6,2 bilhões no México, alta de 516%. Por outro lado, o Japão viu seus investimentos caírem 16% em 2017, para US$ 23,4 bilhões. Na Alemanha, os investimentos decresceram 26%, para US$ 14,6 bilhões; no Reino Unido, os investimentos reduziram 56% devido a mudanças na política de apoio, totalizando US$ 10,3 bilhões. No total, a Europa investiu US$ 57,4 bilhões, representando uma queda de 26% em relação ao ano anterior.

A seguir, os investimentos totais de 2017 dos países que investiram pelo menos US$ 1 bilhão em energia limpa:

Índia US$ 11 bilhões, queda de 20% em relação a 2016
Brasil US$ 6,2 bilhões, alta de 10%
França US$ 5 bilhões, alta de 15%
Suécia US$ 4 bilhões, alta de 109%
Holanda US$ 3,5 bilhões, alta de 30%
Canadá US$ 3,3 bilhões, alta de 45%
Coreia do Sul US$ 2,9 bilhões, alta de 14%
Egito US$ 2,6 bilhões, alta de 495%
Itália US$ 2,5 bilhões, alta de 15%
Turquia US$ 2,3 bilhões, alta de 8%
Emirados Árabes Unidos, US$ 2,2 bilhões, um montante 23 vezes maior
Noruega US$ 2 bilhões, queda de 12%
Argentina US$ 1,8 bilhão, alta de 777%
Suíça US$ 1,7 bilhão, queda de 10%
Chile US$ 1,5 bilhão, alta de 55%
Áustria US$ 1,2 bilhão, alta de 4%
Espanha US$ 1,1 bilhão, alta de 36%
Taiwan US$ 1 bilhão, queda de 6%
Indonésia US$ 1 bilhão, alta de 71%

Investimento por setor 
Como mencionado, o setor de energia solar saiu na frente, atraindo US$ 160,8 bilhões – o equivalente a 48% de todo o investimento mundial em energia limpa. Os dois maiores projetos solares aprovados no ano passado estão nos Emirados Árabes Unidos: a planta de 1,2GW de Marubeni JinkoSolar e Adwea Sweihan, um investimento de US$ 899 milhões, e a instalação de 800MW de Sheikh Mohammed Bin Rashid Al Maktoum III, estimada em US$ 968 milhões.

O segundo setor que mais recebeu investimentos em 2017 foi o eólico, com US$ 107,2 bilhões. Esse montante representa queda de 12% em relação aos níveis de 2016, mesmo com um número recorde de projetos financiados onshore e offshore.

Fonte: Bloomberg New Energy Finance

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *