Foto: Pedro Teixeira/O Globo

Eletrobras prevê levantar mais de R$ 5 bi com venda de participações

A Eletrobras pretende acelerar seu programa de privatizações e venda de participações em diversos ativos de geração eólica, transmissão e distribuição de energia. O presidente da estatal, Wilson Ferreira Júnior, informou que pretende vender, até o fim do ano, as participações acionárias da empresa em 79 companhias, as chamadas Sociedades de Propósito Específico (SPEs).

De acordo com o executivo, ainda neste mês, o BTG Pactual deverá apresentar a modelagem de venda e o preço dessas participações acionárias. O valor contábil das participações da Eletrobras nessas SPEs, segundo Ferreira Júnior, é da ordem de R$ 5 bilhões.

Os recursos poderão ajudar o governo a fechar suas contas, num momento em que a equipe econômica discute ampliar a meta fiscal deste ano, atualmente fixada em R$ 139 bilhões. Segundo o presidente da Eletrobras, a previsão é arrecadar bem mais do que os R$ 5 bilhões estimados.

DISTRIBUIDORAS À VENDA

O executivo explicou que são ativos altamente rentáveis, como as linhas de transmissão.

— Eu imagino que elas possam valer seguramente mais, porque esses são valores após as baixas contábeis feitas. Hoje, se tem um interesse muito grande pelo setor elétrico, em particular alguns ativos que nós temos, como o de transmissão com elevadas taxas de retorno. Temos sido procurados por muitos interessados — destacou Ferreira Júnior.

Atualmente, a Eletrobras tem participações em 178 SPEs em geração, transmissão e serviços. Mas, para aumentar o valor de venda desses ativos, alguns deles foram aglutinados, como é o caso de 45 parques eólicos que se transformaram em dez SPEs .

Também até o fim deste ano, a Eletrobras pretende privatizar as seis distribuidoras federalizadas localizadas nas regiões Norte e Nordeste do país. O BNDES, segundo o executivo, está fazendo a modelagem e fixando o valor dessas distribuidoras — processo que deverá ser concluído ainda este mês, ou no máximo, em setembro.

— Vamos anunciar como será a privatização dessas empresas agora em setembro e vender as seis em dezembro — explicou Ferreira Júnior.

INCENTIVO À DEMISSÃO

As vendas de ativos, assim como outras medidas de redução de custos, como planos de incentivo ao desligamento de funcionários, têm o objetivo de recuperar as finanças da Eletrobras, que fechou o primeiro semestre do ano com uma dívida líquida de 23,4 bilhões.

Como parte da reestruturação interna do grupo e redução de custos, a Eletrobras vai lançar entre outubro e novembro seu Plano de Incentivo ao Desligamento Voluntário (PIDV) .

Os detalhes do programa ainda estão sendo concluídos, mas o presidente estima que conseguirá uma adesão de 2.400 empregados. A expectativa é que, deste total, 50% vão aderir neste ano, e a outra metade, no primeiro semestre de 2018.

Com o plano de incentivo á aposentadoria, encerrado mês passado, a companhia conseguiu uma adesão de 2.097 empregados. Com os dois planos se prevê reduzir seu quadro de pessoal de 17.200 para cerca de 12.700, e obter uma redução de custos de 1,5 milhão por ano.

Fonte: O Globo

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *