CERNE debate geração distribuída na Câmara dos Deputados

Presidente do CERNE, Darlan Santos, destacou potencial brasileiro para geração de energia fotovoltaica e fez considerações sobre o setor durante audiência pública.  

Na tarde desta terça-feira (04), o Diretor-Presidente do Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia (CERNE), Darlan Santos, participou na condição de palestrante da audiência pública promovida pela Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados, em Brasília. A iniciativa foi requisitada pelo deputado federal Rafael Motta e debateu a questão da geração distribuída de energia fotovoltaica no Brasil.

O Diretor-Presidente do CERNE ressaltou que a busca por geração de energia renovável está ganhando cada vez mais espaço no cenário atual. Nesse sentido, o segmento da geração distribuída vem ganhando força  no mercado brasileiro. “Representa o incentivo a geração de energia limpa e renovável, redução no custo da energia para o consumidor, além de promover uma sensibilização quanto ao modelo de eficiência energética. Também gera impacto no desenvolvimento da cadeia produtiva específica e aquecimento econômico”, elencou Santos.

Para ele, é necessário considerar uma análise mais aprofundada do impacto referente a alteração do modelo tarifário aos consumidores  finais. Para os empreendedores interessados na comercialização, o mercado livre de geração distribuída já possui jurisprudência consolidada e em fase de expansão.

“Além disso, achamos condizente a manutenção das regras atuais até a inserção atingir um patamar mais maduro. É preciso ter maior consolidação do mercado para alteração das regras”, explicou o especialista. Santos também destacou o acompanhamento das inovações disruptivas e seus impactos na forma de geração local em contraponto ao consumo.

O deputado federal Rafael Motta lembrou que esse tipo de energia renovável esbarra em algumas barreiras, econômicas, burocráticas ou interpretativas quanto à norma em vigência. Mesmo diante dessas dificuldades, o consumo de energia fotovoltaica cresce cada vez mais. Em 2016, por exemplo, o número de microgeradores de energia solar cresceu 407% em relação ao ano anterior, apontam dados da ANEEL.

Também participaram da audiência pública o Secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético do Ministério de Minas e Energia, Reive Barros, o Diretor da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), Rodrigo Limp, a representante da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), Stephanie Betz, a  representante da ALSolar, Eliana Cavalcanti, o representante da Associação Brasileira de Geração Distribuída (ABGD), Carlos Evangelista, e pela Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (ABRADEE),o engenheiro Marco Delgado.

Fonte: CERNE Press | Daniel Turíbio

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *