Os projetos de fonte solar somam 50 no leilão de A4, enquanto os eólico somam 98 nos dois certames, e há mais 1 térmico a gás no leilão de A6. (Foto: Folha - Uol)

Ceará tem 247 projetos em 2 leilões de energia

Cerca de um ano após o cancelamento nas vésperas do último leilão nacional de energia renovável, a Agência Nacional de Energia Elétrica aprovou ontem (14) para dezembro deste ano mais dois novos leilões, os quais possuem 247 projetos cuja exploração de vento e sol é no Ceará. Ao todo, foram 1.092 para o A6 – cuja produção de energia deve acontecer dentro de seis anos – e 1.676 para o A4 – produção dentro de 4 anos.

98 projetos em cada um dos certames são destinados a geração de energia eólica no Ceará, enquanto outros 50 no leilão A4 são para fotovoltaica e mais um no leilão A6 será para produção termelétrica a gás. Ter a substituição de eólico por gás no A6 foi um erro na opinião do consultor em energia e cientista industrial Fernando Ximenes, uma vez que o Brasil não é autosuficiente em gás natural.

O tempo necessário para o início da produção de energia também foi criticado por Ximenes, que avalia a necessidade de um período menor: “o ideal era ter tido leilão A2 (produção em 2 anos) e A3 (produção em 3 anos), principalmente solar e eólico, pois nossos reservatórios estão com carga baixa e o indicativo é que a crise energética continua em 2018 e 2019”.

Empresas desmerecidas

O consultor também questiona a necessidade de as empresas que participam dos leilões terem 20% valor do projeto registrado. “Qualquer projeto eólico ou solar dá R$ 500 mi ou R$ 1 bi, e a empresa ter 20% é um valor muito alto. Isso afugenta as empresas nacionais”, observa.

Somado a isso, Fernando Ximenes aponta um cenário de insegurança para o setor de energia elétrica no Brasil devido especialmente às incertezas geradas pelo cancelamento do leilão de energias renováveis no ano passado às vésperas da data.

“O setor energético passou o ano aguardando esses dois leilões. No ano passado, o governo adiou três vezes e um dia antes de realizar o leilão, cancelou o certame. O cenário deste ano está praticamente igual e isso deixa uma dúvida de que o governo não faça o mesmo”, observa Ximenes, alertando para uma provável frustração.

De acordo com o aprovado e divulgado ontem (14) pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o leilão de A4 será realizado no dia 18 de dezembro de 2017, enquanto que o leilão de A6 será realizado no dia 20 do mesmo mês. Ambos vão ocorrer na sede da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), em São Paulo.

Fonte: Diário do Nordeste

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *