Capacidade eólica instalada no mundo pode chegar a 800 GW até 2021

O Conselho Mundial de Energia Eólica (GWEC, em inglês) prevê que cerca de 60 gigawatts (GW) de energia eólica serão instalados no mundo em 2017 e a instalação anual subirá para 75GW em 2021. Até lá, se espera que o total de megawatts eólicos no mundo atinja a marca de 800GW, que seria quase o dobro da energia atual, de acordo com o Global Wind Report: Annual Market UpdateRelatório Global do Mercado Eólico lançado nesta terça-feira (25) pela entidade.

Segundo o relatório, o ano de 2016 terminou com uma potencia instalada global de 486,79 GW, o que representa um crescimento de 12,6%  em relação ao ano de 2015. Foram instalados mais de 54 GW eólicos em mais de 90 países, sendo nove deles com mais de 10 GW instalados e 29 ultrapassaram os 1 GW – vale lembrar que no Brasil o estado do Rio Grande do Norte em maio de 2014  atingiu esta marca.

A China continua a sua liderança no ranking global com  168,73 GW em potencia instalada,seguida pelos Estados Unidos com 82,18 GW e  em terceiro lugar vem a Alemanha com  50 GW. A Índia estabeleceu um novo recorde para as instalações no ano passado e tem potencial para atingir as metas do governo para o setor, com vista para novos mercados.

Brasil

Em 2016, o Brasil adicionou 2.014 MW de nova capacidade eólica, com a instalação de 947 turbinas eólicas em 81 parques, e criando 30 mil novos empregos, representando um investimento de 5,4 bilhões. O país subiu uma posição no ranking global, de 10º lugar em 2015 (quando alcançou 8,72 GW em potência instalada), para o 9º lugar em 2016

O relatório menciona que a capacidade eólica chegou a 10,74 GW no final de 2016, representando um investimento total de R$ 70 bilhões (21,5 / USD 22,8 bn). O setor emprega cerca 160 000 pessoas, fornece eletricidade a cerca de 17 milhões de casas e reduz as emissões de CO2 Cerca de 16 milhões de toneladas por ano.

Segundo dados levantados pelo Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia (CERNE), o Rio Grande do Norte tem total destaque nestes números, uma vez que dos atuais 10,38 GW instalados em eólica no país, mais de 3,3 GW estão instalados no Estado, representando assim mais de 30% da capacidade da matriz nacional, sendo também  o líder isolado em geração de eletricidade por este tipo de fonte.

O CERNE também destaca que entre 2014 e 2016, o Brasil acumulou 7,24 GW em operação comercial, contra 3,447 GW do  Reino Unido, 3,676 GW da França e 4,079 GW do Canadá.

Se esse perfil de crescimento se mantiver para os próximos dois anos, o Brasil deverá ultrapassar o Canadá e a França e em até quatro anos poderá passar à frente do Reino Unido. Com isso, o país poderá ocupar a 6ª posição no ranking global de países produtores de energia eólica até 2020, no mais tardar em 2021.

Leilão de transmissão

Com o resultado do leilão de transmissão realizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) nesta segunda-feira (24), o setor eólico brasileiro deverá ter novo fôlego para sua expansão. O certame foi classificado pelo governo brasileiro como bem sucedido ao licitar 97% dos lotes em disputa. O deságio médio foi de 36,5%, o que representa um investimento de R$ 12,7 bilhões projetados pela agência reguladora. Dos projetos que estavam no leilão, foram negociados 7.068 quilômetros de linhas de transmissão.

Fonte: CERNE Press com informações Gwec

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *